Será que ainda sei?

Será que ainda sei escrever coisas no meu blog?
Será que ainda vale a pena achar que é útil falar com o mundo?
Com este claro, porque com o outro fala-se com o pensamento. É verdade que o tempo não pára e é verdade que às vezes cansa só o facto de esperar que ele passe. Há dias em que tenho força, a maior parte deles é certo, mas naqueles em que estou cansada e a precisar de dormir, como hoje, acabo por pensar se tudo vale a pena...Acho que continuo a tentar descobrir qual é o meu papel neste mundo, além de ajudar os outros, claro, porque essa minha faceta está bem vincada...demasiado até!
Decidi mudar, não daquelas mudanças de novo ano, cheias de boas mas curtas intenções, foi uma necessidade que foi crescendo, que se foi desenvolvendo e aperfeiçoando...mas foi uma decisão de meio do ano, uma altura tão boa como outra qualquer...
Estou então hà uns meses a preparar a minha nova existência...viver para mim e em meu benefício. Não sei se o conseguirei fazer, mas certo é que me sinto um bocadinho melhor. Já não sinto aquela tristeza que me acompanhou durante tantos anos e que eu não conseguia identificar. Como acho que ainda não o consegui fazer, decidi fazer uma coisa muito importante e, seguramente, decisiva para mim...comecei a pensar em relação a tudo e todos que me rodeiam o que acrescentam à minha existência. Pois a pouco e pouco tenho descoberto que de pouco preciso e que poucos me servem para alguma coisa!

Mas ainda não consigo lidar com essa nova realidade, a de constatar que mais uma vez o que em rodeia não é o que parece...Ainda bem que a vida me preparou bem para estes pequenos revezes...assim agora é mais fácil reaprender a viver e fazer os devidos ajustes a quem de direito!
Não sei se voltarei aqui, não tenho tido muito tempo para pensar se vale a pena voltar aqui. Não por mal, mas por ser razoável, na minha vida tudo tem um tempo preciso, pode durar mais ou menos, mas as coisas passam e não voltam a fazer sentido recuperá-las. As minhas amizades, as minhas casas, os meus espaços, tudo tem o seu tempo, tudo me é útil ao seu modo e tudo passa como se tivesse cumprido o seu papel. Como se fosse mais um passo no caminho do meu desenvolvimento. Nos últimos meses tenho fechado vários destes ciclos, parece que tudo o que tive de passar serviu para chegar a comclusões ao fim de tantos anos, parece que cada uma das fases que se arrastou por vários anos, finalmente me está a ser útil. Encerrar de capítulos? arrumar ideias? Crescer? Não sei o que é, não sei para que serve, mas aprendi a viver com estes ciclos e a organizar-me com esta organização da minha vida. Se há coisa que aprendi é que na nossa existência nada é controlado por nós, todas as situações vividas e por viver são necessárias mesmo que não as possamos compreender.
Estranho ou não, sinto que a minha vida vai começar um ciclo diferente de todos os que já vivi... estou a reconstruir o meu eu e a minha vida e não sei ainda se há espaço para me revelar aos outros antes mesmo de eu me conhecer.
Como tal, fiquem bem e até...
publicado por Viver Alentejo às 00:19 | favorito