23 de Outubro de 2011

Nem sempre a vida corre como queremos. Nem sempre os nossos projectos se concretizam. Nem sempre o rumo seguido é no percurso sonhado... 

Ém Janeiro deste ano os meus projectos eram muitos e a minha vontade imensa, o meu rumo parecia finalmente o que sempre sonhara e os meus dias eram preenchidos com trabalho, ideias, obrigações e devoções. Tudo parecia bem encaminhado e sentia-me quase feliz.

Eis senão quando soube que estava doente, foi-me diagnosticado um cancro. Não interessa onde nem em que estado estava nem como me senti quando soube.

Neste momento passaram sete meses desde que soube. Importa sim saber que os tratamentos estão a fazer efeito e que as coisas estão a evoluir favoravelmente. O que é que isto significa? Não sei, aprendi que isto vale o que vale...hoje estou bem, amanhã posso já não estar. Esta é uma das coisas que se aprende, a viver com esta verdade.

Ao longo destes meses, depois de tudo o que conheci, vi e senti sobre este assunto que nunca é fácil, aprendi que não vale a pena fazer conjecturas sobre este assunto, não adianta falar sobre a doença e sim sobre a cura, não vale a pena perguntar porquê e sim centrarmo-nos em recuperar.

A nossa vida muda, os nossos dias mudam, nós mudamos.

O que vale a pena? Termos paciência connosco porque neste processo é bem preciso...acreditar que vamos ultrapassar tudo e que no fim tudo acabará bem...continuarmos os nossos projectos tendo que os adaptar às novas circunstâncias da nossa existência...

Cresci muito nestes meses, aprendi muito em cada dia que vivi nesta provação.

É a primeira vez que falo em público sobre o assunto, não tem sido fácil, mas tem valido a pena.

Todo este processo me tem mudado, sinto-me diferente embora não saiba explicar bem porquê nem em que sentido. As minhas prioridades mudaram, como é óbvio, e tudo à minha volta parece ter mudado, as coisas parece terem sido postas num lugar diferente, as pessoas passaram a ter tonalidades que não tinham anteriormente e tenho a sensação de ter aprendido a viver de uma nova forma.

Hoje, a esta hora, sinto-me bem e confiante. Não sei como vai ser o meu futuro, ninguém sabe, mas estas palavras passaram a ter um novo significado para mim e sinto-me com força para continuar a viver produtivamente os meus dias...

Fiquem bem e até breve

 

publicado por Viver Alentejo às 21:14 | favorito