Como?Quando?Porquê?

Porque foge a tua imagem quando te quero recriar no meu peito? Como se pode sentir tanto se esse tanto não é para durar? Como posso ter a alma cheia do que não faz sentido no mundo? Que percurso é o meu neste universo trapaceiro, que brinca com quem não quer brincar? Que sentido fazes tu na minha vida se nela não permaneces?como posso ter-me enganado tanto?Que necessidade tenho de sofrer a tua ausência?Que força maior que nós me empurra na direcção deste muro que não consigo transpôr? Quem és tu que me ocupas os dias sem me mostrares a face?Que terei eu de fazer para te arrancar do peito sem te poder tocar? Quanto faltará para eu acordar e sentir que já perdeste os contornos? que sentido faz estar a escrever palavras que não nos conseguem definir?porque teimam as respostas em chegar?
publicado por Viver Alentejo às 00:15 | comentar | ver comentários (5) | favorito