14
Nov 05

De volta à vida...

Recomeçar uma vida, partindo do zero, como se nada tivesse existido antes, pode parecer um projecto arrojado ou mesmo utópico, mas em certas alturas da vida é fundamental. Mais complicado se torna quando temos de continuar a viver com essas mesmas pessoas que pertenceram a esse mesmo passado que se pretende esquecer. Talvez não esquecer mas pelo menos aprender a viver com ele distante e não constantemente presente como se ainda fizesse parte dos nossos dias. Acho que exigimos demasiado de nós, queremos fazer demasiadas coisas ao mesmo tempo, sem parar para pensar no fundamental que somos nós.Ocupar o tempo é bom quando o espírito está livre para novos desafios e nunca quando se tenta ocupar o tempo para nos esquecermos de nós mesmos. Eu acho que ainda fui a tempo, deixei-me chegar ao fundo sem que me apercebesse, tudo na minha vida estava um caos e eu não conseguia ver. A minha casa parecia qualquer coisa que não me pertencia, estranha sem qualquer ordem, sem qualquer significado. Votei-me a um desleixo sem precedentes, abandonei-me a mim própria precisando sempre dos outros para me fazerem andar.Saía pelos outros, vestia-me pelos outros, acordava pelos outros e andava ao sabor da inspiração de todos menos de mim.Toda a gente servia para me ocupar o tempo e a alma, deixei que invadissem o meu espaço, pois sem eles eu não existia. Tudo nos outros era uma questão de vida ou morte, deixei-me invadir por completo pelas suas vidas.Um dia acordei com uma nova vontade, vontade de voltar a ser eu…foi assim, sem dar por isso, de um dia para o outro tudo começou a ficar no seu lugar, os acontecimentos a fazerem sentido, as pessoas a irem para os seus devidos lugares…enfim tudo se compôs! E sem esforço, com algum sofrimento é certo mas uma coisa aprendi… Tempo…o tempo acaba por nos pôr no nosso caminho, não vale a pena forçar as coisas. Tudo vai ao lugar no seu devido tempo… afinal eu sou prova viva disso mesmo…só temos que ter um pouco de paciência para nós mesmos, depois de me aperceber que o meu maior mal era falta de paciência para o meu sofrimento, tudo se tornou mais fácil… hoje, já encontrei o meu rumo e apenas me resta ajustar no meu caminho os contratempos que a vida me dá…tudo tem uma nova dimensão quando definimos as nossas prioridades e deixamos de ter pena de nós mesmos…
publicado por Viver Alentejo às 22:02 | comentar | ver comentários (2) | favorito
14
Nov 05

Blogs...

Oh valha-me deus...( citando o meu mentor do blog).
Estive a passear pelo sapo e andei a ver blogs…sim,sou um bocadinho cusca!
e então pois que afinal achei o meu blog tão pobrezinho, coitado... Já comentei este facto tão importante na minha existência e já encomendei um novo look para o dito!
Vamos ver como vai sair...
Claro que não quero a minha oliveira cheia de bonequinhas psicadélicas e de corações e estrelinhas... mas nem tanto ao mar!
Para já... e para inicio da coisa já lá estão uns gatinhos. Nasceram na oliveira velha, e já pertencem à segunda geração...eu sei têm um ar um bocado rameloso, mas enfim...são como são e eu acho que são engraçados...
em segundo lugar falemos de conteúdo... mesmo sem ter um ar artilhado como os outros, a minha oliveira, mesmo velha, é muito á frente! ( isto sou eu orgulhosa) por ter um blog que apesar de novinho já tem qualquer coisa de carismático... para quem não sabia o que fazer com o blog... acho que não me estou a sair nada mal...vamos ver quanto tempo é que isto dura!
publicado por Viver Alentejo às 19:58 | comentar | ver comentários (1) | favorito