pouca ou nenhuma

Peço desculpas pela ausência prolongada, os motivos têm sido variados, mas nenhum de cuidado!
Estive doente, logo, estive em retiro fisico e espiritual. uma gripe manhosa que me apanhou distraída e um antibiótico que quase me matou...
mas como sou rija cá estou de volta...
Para começar a conversa, a pequenina já anda, fala que se farta e entrou na fase da descoberta como é próprio desta idade, o resultado práctico disto é a minha falta de tempo para ligar o computador e ter uns minutos para me relacionar com o mundo virtual...
Ela ocupa-me o tempo e o meu espaço interior, de modo que isto não anda exactamente fácil...


Já ouviram falar de um programa que se chama " Prazer dos diabos"?, bom, ontem consegui ver um bocadinho e alguém dizia mal das pessoas que têm blogs, assim tipo do género de acharmos todos que somos alguém para que outro alguém se interesse pelo que nós escrevemos...
Ora aquilo indignou-me...claro que o que eu escrevo é importante...até hà pouco tempo era só para mim, mas fiquei a saber que há quem goste tanto do que escrevo que tem o descaramento de vir "roubar" os meus textos... sim, e digo roubar, porque quando os envia à sua sua cara metade, diz serem de sua autoria...ora isto é que não me parece nada bonito...
Eu também reproduzo coisas que leio noutros blogs mas nunca digo que fui eu, ora bolas...
Enfim...há que ter pena dos menos afortunados... No filme de Natal do Ruca, a mãe dele diz-lhe que menos afortunados são os meninos que têm menos brinquedos do que ele, ou mesmo nenhuns...pois aqui menos afortunados são aqueles que têm pouca capacidade inventiva, pouco conhecimento de palavras e do modo de as relacionar e pouca capacidade de se mostrarem como são na realidade...pouca ou nenhuma.


Ao menos a minha alma gémea, envia-me frases que copia, mas diz que as copia e não que são suas...bom, talvez seja por isso que é a minha alma gémea e não mais um risco na parede...

Tenho pena de quem precisa dos outros para ser alguém...são um bocadinho pobres de espirito, coitados!

Bom, vou-me embora, que se faz tarde...os meus afazeres chamam-me!
Fiquem bem!
publicado por Viver Alentejo às 18:45 | favorito