Espaços...

Depois de tanto tempo ausente, dois artigos no mesmo dia…que luxo!
Pois é, mas um deles está escrito há três dias mas só hoje consegui publicar. E hoje decidi começar as minhas dissertações sobre “ as coisas” falando sobre a postura de pessoas em relação a outras pessoas.
Sim, nós habituamo-nos a tudo na vida, mas há coisas que custam a tragar, e para mim, uma delas é ninguém saber onde começa ou acaba o espaço de cada um. Uma vez li uma frase que dizia qualquer coisa do género que a minha liberdade termina onde começa a dos outros… é uma frase dificil de escrever e ainda mais de pensar, quem é que define essa fronteira? Quantos metros quadrados tenho eu em meu redor? Esse espaço compra-se? Como é que eu meço os metros quadrados dos outros para saber se cabemos todos? Quem escreveu isto devia ser preso…por ter a mania que é intelectual, a escrever coisas dificeis e a fazer os outros pensar nelas sem terem capacidade para tal…como ninguém chegou a nenhuma conclusão que satisfaça a população, acho que cada um resolveu interpretar a frase à sua maneira, ou seja, as pessoas pensam assim:« a liberdade dos outros termina onde começa a minha e a minha começa logo ali, o que faz de mim uma pessoa muito livre e dos outros seres limitados pela minha grandeza ».
Só assim consigo justificar as atitudes cretinas com que tenho de lidar todos os dias… é dificil lidar com os complexos de superioridade dos outros…os meus dias são passados a lidar com pessoas e há dias, como hoje, em que sinto uma necessidade profunda de arrumar a minha grandeza num espaço bem pequeno para não colidir com a grandeza dos que me rodeiam. Nos dias como hoje a grandeza da minha alma faz-me encolher o corpo para passar despercebida aos olhos dos corpos dilatados com almas mirradas, para poder continuar a conviver sem conflitos com essas pessoas que insistem em ocupar o espaço dos outros.Faço-o não por cobardia mas por ainda acreditar nas relações humanas e por ainda achar que vale a pena conviver com os outros… Deus me conserve assim!
publicado por Viver Alentejo às 16:56 | comentar | favorito