Lágrimas...

Hoje, a propósito de algo estupido como perder uma chave, uma colega minha disse-me no meio da conversa: “…tempo, não tenho tempo para chorar…”, eu sorri-lhe um sorriso que pretendia ser de conforto mas que acabou por ser de solidariedade.
Vim para casa a pensar no assunto… nos dias em que me sinto exactamente como ela, sem tempo para chorar. Chorar faz bem, lava a alma e leva o mal para longe… mas o que é que acontece quando se sente que não há tempo para parar, nem sequer para deitar uma lágrima de conforto?
Algo está mal, não no nosso interior, mas nesta nossa vida que não nos dá espaço para sermos nós mesmos, que não nos deixa sentir a dor que queremos sentir. Nós temos o direito de ter tempo para ter pena de nós mesmos, para chorarmos lágrimas de uma dor que é só nossa e não se explica e para nos podermos rir dessa mesma pena e dessas mesmas lágrimas. Que vida se tornou esta em que esse direito nos é negado? Como é que chegamos ao ponto de dizer para dentro :“ espera um bocadinho, chora mais logo que agora tens que ir às compras e depois para casa”. Temos sempre coisas para fazer com pessoas a olhar para nós, pessoas que talvez também precisem de chorar e talvez não tenham tempo…
Cuidado, há que ter cuidado com as lágrimas que se escondem, chorem-nas sempre que puderem, para que um dia não se sintam sem tempo para o fazer, chorem-nas por mim que, também eu, já estou sem capacidade para arranjar tempo para as chorar…
publicado por Viver Alentejo às 23:32 | comentar | favorito